Preço do feijão dispara no Território do Sisal; quilo chega a R$ 7 reais na maioria das cidades


O feijão é um dos alimentos presente diariamente na mesa dos brasileiros. Porém, desde o mês que dezembro que o produto vem sofrendo alta, chegando a custar mais de R$ 7 atualmente. O site A Voz do Campo pesquisou em comércios nesta sexta-feira (8) em Serrinha, Araci, Teofilândia e Tucano, onde conversou com consumidores e comerciantes. Segundo os vendedores, a previsão é o feijão aumente ainda mais. “As pessoas estão comprando menos feijão.

 Também estão optando por outros tipos, para driblar o preço auto do feijão carioca”, disse João, em um mercado de Serrinha. O feijão carioquinha é o mais procurado e também o mais caro. Outros tipos de feijão também tiveram aumento; o feijão fraldinha custava R$ 2 agora está por R$ 3,50 e o preto era R$ 3,50, passando para R$ 5,50. O preço do feijão carioca mais alto foi registrado em Araci, de R$ 7,50 em um mercado. Em Tucano, o preço mais alto foi de R$ 7,30 e o mais baixo de R$ 6,50. Serrinha, preço mais alto foi de R$ 7,10 e o mais baixo de R$ 6,30. Em Teofilândia, o preço mais alto foi de R$ 7,40 e o mais baixo de R$ 6,20. Em Araci, o preço mais alto foi de R$ 7,50 e o mais baixo de R$ 6,90.