Coité – Umas das mulheres mais idosas do Brasil recebe primeira dose da vacina contra a Covid-19

 


A dona Antônia Santa Cruz que está caminhando para seus 116 anos no dia 13 de junho, ela que reside em Salgadália, maior distrito de Conceição do Coité, pode se dizer que superou a pandemia da Gripe Espanhola em 1918, quando tinha 12 anos de idade e está vencendo a Covid-19 que teve início quando estava com 114.

Desde que iniciou a pandemia da Covid-19 os familiares da idosa vêm tendo cuidados redobrados para evitar que ela seja contaminada, porém quando surgiu a vacina cuja campanha teve início há exatamente um mês, e que pessoas com idades acima de 90 anos seriam priorizadas após os profissionais de saúde da linha de frente, Dona Maria de 81 anos, filha e cuidadora de Dona Antônia e a filha dela, Miriam Medrado, decidiram não vacinar a idosa, temendo que ela sofresse algum tipo de reação alérgica ou efeito colateral, mas diante de alguns acontecimentos Dona Maria e Miriam chegaram a um acordo e decidiram vacina a ‘Super Vovó’


Dona Antônia tinha 12 anos quando a pandemia mundial da Gripe Espanhola matou milhões de pessoas.

Na manhã desta quinta-feira, 18, a técnica de Enfermagem Graciele Costa Junqueira chegou a residencia de dona Antônia e aplicou a primeira dose da vacina exatamente ás 11h18.

O Calila Noticias manteve contato com Miriam para saber o que fez com que voltasse atrás da decisão e procurasse a agente de saúde, ela informou que tudo mudou depois que ela, o esposo e o filho (que também ajuda a vovó) fizeram uma viagem e para isto chamou uma jovem para ficar no lugar durante o período ausente.

Segundo Miriam ao retornarem da viagem seu filho chegou enjoado e ela achou que seria por conta da viagem, tendo ficado doente na segunda e terça-feira, “na quarta comecei me sentir mal, ai pensei, tem alguma coisa errada, a garganta começou doer, meu marido começou sentir também a cabeça e tontura, e diante dos sintomas fomos fazer o teste do covid e cinco dias depois saiu os resultados, todos positivos,”, afirmou Miriam.

Idosa conta com apoio da filha Maria, da neta Miriam e do bisneto Maicon | Foto arquivo : Raimundo Mascarenhas

Ela informou ainda que tem duas semanas que chegou de viagem e ainda não foi na casa da mãe dela onde mora Dona Antônia, mesmo a vigilância epidemiológica tendo liberado por estarem recuperados. “Mas mainha ainda tem medo e pediu pra eu ficar ainda mais um tempo sem ir lá, e por medida de segurança vou ficar duas semanas sem ir lá”, disse Miriam.

O Calila Notícias conheceu Dona Antônia no fim de dezembro de 2019 e fez uma reportagem sobre a idosa que tem uma irmã um pouco mais nova 105 anos e um irmão caçula, Antônio na época com 99 anos, ele residia no Sítio Maria Vitória, zona rural de Santaluz. Ele nasceu no mesmo dia de Dona Antônia, 13 de junho, e se chamava Antônio também por ter nascido no dia consagrado ao santo casamenteiro. O irmão caçula de dona Antônia faleceu no ano passado.

Postar um comentário

0 Comentários