Primeira neurocirurgia para tratamento de Parkinson no SUS na Bahia é feita no HGRS

 


Primeira neurocirurgia para tratamento de Parkinson no SUS na Bahia é feita no HGRS
Foto: Elói Corrêa/GOVBA

A primeira neurocirurgia para tratamento de Parkinson na Bahia pelo SUS foi realizada na segunda-feira (6), no Hospital Geral Roberto Santos. O procedimento, que está na fase piloto, visa controlar os sintomas da doença, possibilitando melhor qualidade de vida ao paciente. A primeira paciente a se submeter à neurocirurgia de Parkinson na Bahia tem 68 anos e sofre da doença há 20 anos. A intervenção cirúrgica não é indicada para todos as pessoas acometidas pelo Parkinson, apenas para alguns casos específicos.

 

O procedimento no HGRS foi conduzido pelo neurocirurgião Leonardo Avellar, com a presença dos neurocirurgiões Paulo Niemeyer Filho e Paulo Luiz Cruz, do Instituto do Cérebro do Rio de Janeiro.

 

A subsecretária da saúde do Estado, Tereza Paim, destacou a importância de hospitais de referência, como é o caso do Roberto Santos, estarem cada vez mais especializados para compor a rede de atenção à saúde. “Esta é uma cirurgia altamente especializada que vem compor a rede de atenção à saúde. Claro que ainda vamos avançar bastante, mas o Hospital Roberto Santos pertence à rede própria do governo do Estado, e grandes avanços têm que acontecer a cada momento para que o paciente tenha acesso e acolhimento para a sua patologia. Então, é muito importante nós avançarmos em tecnologia e essa é uma neurocirurgia com avanços tecnológicos e que fazem a melhoria da qualidade de vida do paciente”, disse.

 

O neurocirurgião Leonardo Avellar, que realizou a cirurgia, enfatizou a importância do SUS. Para ele, o procedimento mostra que o serviço público de referência consegue fazer qualquer coisa. “Como é o caso aqui do Hospital Roberto Santos, como é na nossa área de neurocirurgia e eu estendo também para as outras especialidades, pois eu sei que o hospital é de qualidade”. Para ele, com recursos humanos e financeiros, consegue-se fazer o que for necessário para atender à comunidade. “Eu acho que a grande importância da cirurgia de hoje é atender à comunidade. O implante de eletrodos que foi realizado é o primeiro do SUS na Bahia, e isso é bastante simbólico pelo valor agregado disso”.