Natal Luz Coité: ex-prefeito Assis diz que não seria prioridade em seu governo e que atual gestor vai ter que explicar ao MP o valor investido

 


O ex-prefeito de Conceição do Coité, Francisco de Assis (PT) que governou o município de primeiro de janeiro de 2013 a 31 de dezembro de 2020, tinha acabado de deixar o trabalho na Caixa Econômica Federal na tarde desta sexta-feira, 26, quando o repórter José Carneiro do Estúdio8 TV fazia uma transmissão ao vivo no centro da cidade e encontrou o ex-gestor.

O repórter comentou sobre Assis que tinha governado o município e perguntou se ele entraria na disputa novamente, ele respondeu: “Quem é da luta não desiste nunca. De uma maneira ou de outra a gente está sempre na luta”, afirmou.

José Carneiro perguntou ao petista o que ele achou da ornamentação do Natal Luz Coité, iniciativa do atual prefeito Marcelo Araújo (DEM) e Assis começou comparando o valor do investimento feito pela Prefeitura em Euclides da Cunha, R$ 168 mil, e que o valor do investimento em Coité vai ter que se explicado no Ministério Público.”Como é que gasta R$ 820 mil fora alguns adicionais, quando Euclides da Cunha que tem iluminação do mesmo porte gastou cento e sessenta e oito mil, é algo que deve ser explicado”, disse.

Francisco de Assis disse também que trabalha dentro das prioridades, e não seria prioridade em seu governo a iluminação natalina e sim não deixar falta medicamentos nos postos de saúde, no CAPS, ter profissionais no CRAS, não precisar que pra uma mulher dá à luz procurar um vereador ou outra liderança política.

O repórter disse que a iluminação de natal tem sido um atrativo e muita gente de fora tem vindo a Coité, porém Assis afirmou que não acredita nesta lógica, segundo ele o que melhora e traz pessoas de fora e trazer uma faculdade como a Faresi, Centro Acadêmico de Educação no Campo e Desenvolvimento Social, o Hospital Português e virem pessoas da Bahia inteira pra aqui pra fazer procedimentos cirúrgicos, então o que traz pessoas de fora é isso, a saúde e educação”, afirmou Assis e acrescentou: “Pra luz quem vier, se vier, vai consumir, no máximo um salgadinho e brincar no parquinho, ninguém virá pra se hospedar em hotel, pra ir pra restaurante, isto aí em balela, conversa de quem não conhece a realidade, a população está passando necessidades extrema, não está com essa renda toda para ir a restaurante (…).


Postar um comentário

0 Comentários