CoronaVac induz anticorpos em 85,2% dos pacientes com câncer, mostra estudo

 


CoronaVac induz anticorpos em 85,2% dos pacientes com câncer, mostra estudo
Foto: Geovana Albuquerque / Agência Saúde DF

Um estudo publicado na revista Future Oncology mostrou que a CoronaVac, vacina do Butantan e da Sinovac, é eficaz na proteção de pessoas com câncer, induzindo a produção de altos títulos de anticorpos em 85,2% dos pacientes analisados. As informações são do Instituto Butantan.

 

O trabalho foi realizado por pesquisadores turcos da Universidade Bezmialem Vakif, Universidade Medipol, Hospital de Treinamento e Pesquisa Okmeydani, Hospital de Ancara, entre outras instituições.

 

Os cientistas avaliaram a soropositividade da CoronaVac em 776 pacientes com câncer, adultos com idade média de 64 anos, que deram entrada em clínicas de oncologia entre 1º de março e 1º de julho de 2021. O grupo controle foi composto por 715 pessoas sem câncer, com idade média de 50 anos. Todos foram vacinados com duas doses, com intervalos de quatro a seis semanas.

 

Entre os pacientes, 85,2% produziram anticorpos contra o SARS-CoV-2, com título mediano de 363,9 UA/mL. Já no grupo controle, a taxa de soropositividade foi de 97,5% e o título mediano de anticorpos foi de 656,5 UA/mL.

 

Os tipos tumorais mais comuns foram câncer de mama (32,3%), câncer de pulmão (23,6%), câncer gastrointestinal (22,4%) e câncer geniturinário (13,8%). 

 

A incidência de efeitos adversos após a primeira dose foi de 15,9% no grupo de pacientes e de 22,5% no grupo controle, sendo que os sintomas mais relatados foram fadiga e dor no local da injeção. Em relação à segunda dose, não houve diferença significativa nas reações adversas.

 

De acordo com os pesquisadores, os fatores significativamente associados às menores taxas de soropositividade no grupo de pacientes foram idade e quimioterapia ativa. No entanto, os resultados confirmam a eficácia e a segurança da CoronaVac nessa população.

Postar um comentário

0 Comentários