Hospital Português deixará gestão do Hospital Regional de Coité em 30 de novembro deste ano




Repercutiu nos últimos dias a informação que o Hospital Português (HP) vinculado a Real Beneficência Portuguesa, detentora do Hospital Português de Salvador estaria encerrando o contrato de gestão do Hospital Regional de Conceição do Coité (HRCC) que começou em 1º de agosto de 2014 no segundo ano do primeiro mandado do então prefeito Francisco de Assis (PT) no mesmo ano ocorreu também assinatura do convênio entre o HP e a Prefeitura para gestão também do Hospital Municipal conhecido como hospital novo, ficando as duas unidades de saúde ‘portas abertas’ sob a gestão do HP durante toda gestão de Assis que foi reeleito e manteve a parceria até agora na gestão do prefeito Marcelo Araújo (União Brasil).

Ato de transferência de gestão aconteceu em 1º de agosto de 2014| Foto: Raimundo Mascarenhas

O Calila Notícias teve acesso a uma nota oficial do Hospital Português com data de 19 de agosto 2022, ou seja, da última sexta-feira, direcionada a Liga Coiteense de Proteção à Maternidade e à Infância entidade responsável pela gestão no município de Conceição do Coité e independente da Prefeitura Municipal, mas que ao longo de sua história de mais de 60 anos no município sempre foi visto como oposição ao grupo do atual prefeito o que muitos lideres da oposição associam a falta de interesse do atual gestor na manutenção do convênio.

De acordo com  a nota que pode ser lida abaixo na íntegra, o contrato tem encerramento no dia 31 de outubro 2022 e o desligamento total ocorre um mês depois




O Calila Notícias manteve contato com a assessoria do prefeito para saber seu posicionamento sobre o caso, cuja resposta foi que a gestão ainda não foi comunicada oficialmente.

Mantivemos contato também com o deputado estadual Alex da Piatã (PSD) que era vice-prefeito e secretário de Saúde de Coité na ocasião da assinatura do convênio para saber como ele está vendo esta informação do fim da parceria e ele afirmou que está tendo contato com o HP em busca de uma explicação por parte da Real Beneficência Portuguesa, já que ainda não teve o verdadeiro motivo e ninguém sabe informar.

O ex-prefeito Assis responsável pela assinatura dos convênios se manifestou em redes sociais acusando o atual gestor de ter fechado a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e transformado em posto de saúde, mandou embora o Hospital Português- Unidade Municipal, agora é a vez do Hospital Português-Unidade Regional. Veja


Postar um comentário

0 Comentários