Crianças mortas em chacina na Grande BH são veladas nesta segunda; vizinho confessou o crime e disse que elas faziam barulho

 


Crianças foram mortas pelo vizinho. — Foto: Reprodução

 Os corpos das três crianças assassinadas em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, eram velados na manhã desta segunda-feira (31), em uma funerária na capital. Já o corpo do homem também morto no ataque será sepultado em Janaúba, Norte de Minas.

As vítimas, dois meninos, de 7 e 9 anos, e uma menina, de 11 anos, foram mortos na madrugada do último domingo (30) pelo vizinho do andar de cima, no bairro Vila Olga, em Santa Luzia. Gustavo de Jesus Borges disse à polícia que as matou porque faziam muito barulho. O padrasto de duas das vítimas e pai da terceira também foi morto no ataque. Ele era primo do suspeito.

Foto: Lucas Franco / TV Globo

Segundo a Polícia Militar (PM), Gustavo, de 25 anos, morava no andar de cima onde ocorreu a chacina. No fim da noite de sábado (29), ele invadiu pela janela a casa onde o primo e os filhos moravam.

Ainda de acordo com a PM, após o crime, Gustavo trocou de roupa e escondeu as facas usadas. Ele ficou em um lote vago até o início da manhã seguinte, quando os militares chegaram ao local. O homem voltou até a casa e os policiais desconfiaram da atitude dele.

O suspeito tinha ferimentos em uma das mãos e, ao ser questionado, entrou em contradição, mas acabou confessando ter matado o homem e as três crianças.

Os militares apreenderam as facas usadas no crime, além de roupas e celulares. O homem foi preso em flagrante.

O que disse a Polícia Civil

Na tarde deste domingo (30), a Polícia Civil informou que concluiu o procedimento de prisão em flagrante do suspeito, de 39 anos, por homicídio triplamente qualificado.

De acordo com os investigadores, além de reclamar do barulho, o homem também disse que o pai e padrasto das crianças teria contribuído para a demissão dele no trabalho.

Postar um comentário

0 Comentários