Governo do Estado deposita novo crédito do Programa Bolsa Presença


Cada família recebe R$ 150 por parcela, acrescido de R$ 50 a partir do segundo estudante matriculado.

Famílias dos estudantes da rede estadual de ensino em condições de vulnerabilidade socioeconômica e que estão cadastradas no CadÚnico, conforme calendário anual do programa, tiveram depositado, nesta quinta-feira (10), o novo crédito do Programa Bolsa Presença. Desenvolvido pelo Governo da Bahia, a previsão é alcançar um milhão de pessoas entre familiares (pais, mães ou responsáveis) e estudantes.

Segundo a dona de casa, Mônica Galvão, 42, mãe de João Vitor Galvão, 14, que estuda no 8º ano do Ensino Fundamental, no Colégio Estadual Vila Canária, em Salvador, o valor recebido é essencial para complementar o orçamento da família na compra de alimentos. “Como dependo de alguns ‘bicos’, o auxílio nos ajuda bastante, principalmente na compra de alimentos. E fico feliz que muitas outras famílias também tenham a oportunidade de receber o crédito do programa”.

Cada família recebe R$ 150 por parcela, acrescido de R$ 50 a partir do segundo estudante matriculado. O objetivo do Estado, com a iniciativa,  é assegurar que os estudantes permaneçam na escola. A concessão do benefício está vinculada à assiduidade nas aulas ministradas pela unidade escolar em que o aluno está matriculado; à participação obrigatória dos alunos nas avaliações de aprendizagem promovidas pela unidade escolar, visando orientar o acompanhamento pedagógico; e à manutenção dos dados cadastrais atualizados na unidade escolar e de sua família no CadÚnico.

O Bolsa Presença é considerado o maior programa de assistência estudantil do país e já teve uma reserva do orçamento do Estado de mais de R$ 1 bilhão. Em 2021, foram destinados R$ 469 milhões ao programa. Para 2022, foram disponibilizados mais de R$ 675 milhões, com recursos próprios do Estado. Só esta parcela representa um investimento de R$ 50.020.450,00, que  também contribui para movimentar a economia em todos os Territórios de Identidade da Bahia.

O programa foi criado pela Lei nº 14.310, de 24 de março de 2021, do Bolsa Presença, com a retomada das atividades letivas na rede estadual de ensino, após período de isolamento social imposto pela pandemia do novo Coronavírus. Em 16 de dezembro de 2021, com a Lei nº 14.396, que alterou a Lei nº 14.310/21, o programa passou a ser permanente e reconhecido como uma política de Estado.


Postar um comentário

0 Comentários