Revendedores de gás de cozinha denunciam desabastecimento em cidades da Bahia

 

Revendedores de gás de cidades da Bahia denunciam um desabastecimento de gás de cozinha, segundo a associação da categoria. De acordo com a entidade, 60% das revendas em Salvador estão sem o produto.

A associação de Revendedores de Gás informou que cerca de 500 revendas estão fechadas na capital baiana atualmente. Na região metropolitana, algumas cidades já ficaram sem o produto desde o fim de semana.

Na segunda maior cidade da Bahia, Feira de Santana, e em Itabuna, no sul do estado, revendedoras também relatam falta de gás de cozinha desde a semana passada.  

Apesar da falta do produto em alguns municípios do estado, o pátio da Refinaria de Mataripe, localizada no município de São Francisco do Conde está abastecido com o produto. Dezenas de caminhonetes com botijões vazios formam uma grande fila pelo produto.

Em nota, a empresa Acelen explicou que unidades da refinaria estão passando por manutenção programada ou reativação e foi necessário ajustar os prazos originalmente previstos para retomada de produção por questões de segurança de processo.

A empresa - que é responsável por operar a primeira refinaria do país e a primeira a ser privatizada, não deu um prazo para regularizar a situação. A Refinaria Landulpho Alves reponde, sozinha, por 14% de toda a capacidade de refino do brasil. no fim de março, a unidade começou a produção de gás propano, usado na regulagem da pressão de saída nas embalagens de aerossol.  

O produto é refinado a partir do Gás Natural Liquefeito (GNL). Quase todo o volume desse gás consumido no país é importado, sendo que os principais fornecedores para o Brasil são Argentina e Bolívia.

Postar um comentário

0 Comentários