Santaluz: Mulher vai a PSF e diz que não foi atendida por não ter título eleitoral; Prefeitura responde

Nesta terça-feira (19). o município de Santaluz viu outra polêmica circular nas redes sociais. Desta feita, uma mulher fez um longo relato nas redes sociais, onde afirmava que foi ao Posto de Saúde da Família – PSF na comunidade de Pereira, mas não é atendida por não ter título eleitoral no local. No relato, a denunciante também disse que em outro município, foi atendida sem problemas, mesmo não tendo título naquela zona eleitoral. A publicação regou intensos debates e intervenções de pessoas da situação e da oposição política municipal. Segundo fontes do A Voz do Campo, a denunciante não tem envolvimento político no município. A publicação foi apagada nesta quarta-feira (20).
Nota da Prefeitura Municipal de Santaluz
Com relação a informações inverídicas que têm circulado em redes sociais, segundo as quais uma paciente alega que teve atendimento negado na Unidade Básica de Saúde (UBS) do distrito Pereira sob o argumento de que ela precisaria apresentar seu título eleitoral para agendar consulta com um dentista, o que não é verdade, a Secretaria Municipal de Saúde de Santaluz esclarece o seguinte: Para a realização de atendimentos em postos de saúde ou mesmo no Hospital Municipal é solicitada apenas a apresentação de documento de identidade e cartão SUS, criado pelo governo para controlar e facilitar todos os procedimentos médicos, marcação de consultas e exames no Sistema Único de Saúde. Ressalta-se que a Secretaria Municipal de Saúde fiscaliza e acompanha de perto as ações e serviços em todas as unidades da sua rede, capacitando e orientando os servidores afim de qualificar o atendimento prestado aos cidadãos. Por fim, cabe informar que além dos serviços oferecidos à população nos postos e no hospital, a Secretaria de Saúde de Santaluz desenvolve um conjunto de ações que reafirmam seu compromisso de prestar assistência integral e de qualidade a todos que necessitam de atendimento no sistema municipal de saúde, tais como o ‘Saúde na Comunidade’, projeto itinerante de extensão que leva à diversas localidades, sobretudo as de difícil acesso, atendimentos em especialidades como clínica médica, odontologia, psicologia, ginecologia, pediatria, nutrição, entre outros, além de distribuição de medicamentos e aplicação de vacinas.