Enfermeiro morto por coronavírus adiou aposentadoria para ajudar colegas na pandemia

Foto: Reprodução/Redes sociais
Foto: Reprodução/Redes sociais
O enfermeiro Cícero Romão de Souza, de 51 anos, que morreu nesta quarta-feira (22) após complicações provocadas pelo novo coronavírus (Covid-19), pretendia se aposentar depois que a pandemia passasse. Ele atuava no Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) e há mais de 20 anos na Santa Casa de Mogi das Cruzes, em São Paulo.

 De acordo com o tenente Everton Oliveira Pinheiro de Godói, do Corpo de Bombeiros, o amigo resolveu adiar o plano para não abandonar os colegas durante o combate ao coronavírus. “Ele estava conversando recentemente com a gente que já tinha dado tempo para aposentar. A gente até falou: ‘pô, nesse negócio de coronavírus, aproveita e já aposenta’. Ele falou que não, que não ia deixar o pessoal agora, nesse momento”, relembra Godói. 

Nesta quinta-feira (23), com giroflex e sirene ligados, profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e do Corpo de Bombeiros prestaram homenagens a Romão. Uma carta de despedida, que destacou a competência do profissional e a saudade que ele vai deixar, foi lida no pátio do 17º Grupamento de Bombeiros. A morte do enfermeiro foi a 14ª provocada pela Covid-19 em Mogi das Cruzes, de acordo com a Secretaria de Saúde.