Desemprego deve seguir em alta nos próximos três meses, diz estudo

Desemprego deve seguir em alta nos próximos três meses, diz estudo
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Um estudo do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) indica que os próximos três meses serão de aumento do desemprego no Brasil.

A indústria mais afetada é a de vestuário e acessórios, em que mais de 80% dos empresários pretendem reduzir o quadro de funcionários nos próximos três meses. Na indústria têxtil, mais de 60% dos empresários declararam a intenção de reduzir o quadro de funcionários no curto prazo.

"Algumas dessas empresas são grandes e de alguma forma até conseguem reduzir o quadro de pessoal sem precisar demitir, fazendo plano de demissão voluntária, não substituindo algum aposentado. A gente sabe que neste momento vai ter muita demissão. Mas a gente não pode confundir com a magnitude da demissão. Pode ter 90% das empresas dizendo que vão demitir, mas elas não estão dizendo quanto será essa redução", registrou Aloisio Campelo Júnior, superintendente de Estatísticas Públicas do Ibre/FGV.

Ao todo, um terço dos empresários pretende reduzir o número de funcionários nos próximos meses. Rodolpho Tobler, economista do Ibre/FGV, também responsável pelo estudo, prevê melhora, na melhor das hipóteses, apenas no fim do ano.

"No curto prazo a gente não tem uma expectativa de que esse número salte para o patamar positivo (mais empresas prevendo contratar do que demitir), como a gente vinha operando no fim do ano passado", falou.