Em meio à pandemia, desinfetante de longa duração é opção para matar vírus em ambientes


Em meio à pandemia, desinfetante de longa duração é opção para matar vírus em ambientes
Foto: Rebeca Menezes / Bahia Notícias

No momento em que a desinfecção de espaços públicos e privados se torna fundamental no combate ao coronavírus, a empresa americana Global Solutions desenvolveu vertentes de seu desinfetante especial, o SD Lab, para aplicação em residências, veículos e outros espaços de uso coletivo. Antes da pandemia, o produto era utilizado em centros cirúrgicos e ambientes hospitalares em geral.

 

"Ele traz o conceito da camada de durabilidade, que é novo no Brasil. É um desinfetante de alto nível com o diferencial da longa duração, que cria uma camada protetora em cima de qualquer material que seja aplicado", afirma Ismar Paes, diretor geral da IBP Consultoria e Representação, distribuidora do produto em Salvador.

 

Foto: Rebeca Menezes / Bahia Notícias

 

O SD Lab é formado por um quaternário de amônio com 18 cadeias de carbono e três átomos de oxigênio ligados ao Silício. Paes explica que essa composição faz com que os átomos criem uma ligação covalente na superfície, mantendo o seu princípio ativo. “O sal de amônio quaternário tem ação sobre o invólucro dos microrganismos, desnaturando-o, fazendo com que ele pare de exercer suas ações vitais e provocando a morte do microrganismo”, diz a apresentação do produto.

 

Em entrevista ao Bahia Notícias, o executivo garante que o desinfetante possui todas as certificações da Anvisa e das agências de regulação americanas. Sua eficácia atinge todas as cargas de vírus, fungos, bactérias e mofo que alcancem esses ambientes após a desinfecção dentro de um período de três meses (SD ST Balde) ou um ano (SD Pro Balde). Essa duração vai variar de acordo com a potência do produto escolhido.

 

Só que diferente de um desinfetante que se compra em estabelecimentos comerciais, o SD Lab não é vendido a toque de caixa. As pessoas e empresas interessadas precisam contratar o serviço de aplicação.

 

“Se vende a aplicação justamente porque existem técnicas, riscos e protocolos nessa tarefa”, frisa o diretor. Antes e depois dessa etapa, os técnicos da empresa fazem a medição para verificar o índice de infecção do local, ato que é repetido a cada 30 dias para demonstrar ao cliente que o espaço está seguro.

 

“E se lavar, estraga?”, Paes questiona antes de responder sua própria pergunta com um sonoro “não”. Muito pelo contrário, é importante manter a higienização dos espaços com água e sabão e outros desinfetantes e produtos, a exemplo do álcool gel, também não representam problema.  “O que tira o produto é uma coisa muito abrasiva”, destaca, se referindo a materiais que possam arranhar a estrutura que passou pelo processo de desinfecção.

 

Desde que começaram as atividades em Salvador, a empresa tem muito sido requisitada para aplicar o produto em edifícios comerciais, residenciais e apartamentos. Os interessados no serviço podem solicitar uma avaliação da empresa por meio dos contatos (71) 99137-1574 ou adm@ibpmedical.com.br. A aplicação mais curta, válida por 90 dias, custa R$ 1,2 mil. Já a versão com prazo de 12 meses custa R$ 2,4 mil.