Após execução em presídio de Serrinha, membros do CV temem represálias do PCC

 


Depois da morte de um integrante do PCC no presídio de Serrinha, na Bahia, membros da facção Comando Vermelho temem represálias do grupo rival nas áreas onde exercem comando no Estado. O clima é de tensão no bairro Nordeste de Amaralina, em Salvador, e em cidades como Eunápolis, comandadas pela facção antes chamada de Comando da Paz. Além disso, são esperados contra-ataques do PCC contra membros do CV em outros presídios da Bahia.

O secretário de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), Maurício Barbosa, afirmou estar "acompanhando" a situação dos presídios do interior do estado, especialmente na cidade de Serrinha, e que não descarta a transferência de presos de facções criminosas de presídios baianos para unidades fora do Estado.

"Esse acompanhamento é feito principalmente pela Secretaria de Administração Penitenciária, nós temos apoiado muito eles, são feitas buscas semanalmente, em quase todas as unidades, prendendo armas e celulares. Sobre os óbitos estamos atentos se há realmente essa rixa entre facções motivando essas mortes dentro das unidades especializadas", disse Barbosa, durante a entrega de viaturas no Centro Administrativo da Bahia (CAB), nesta terça-feira (3).