Conheça destaques e expectativas dos 10 participantes


Guia do Campeonato Baiano 2021: Conheça destaques e expectativas dos 10 participantes
Arte: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

Ainda sob os efeitos da pandemia global do novo coronavírus iniciada no ano passado, o Campeonato Baiano 2021 começa com adaptações na tabela de jogos. Por isso, o segundo estadual mais antigo do Brasil dará seu pontapé inicial antes mesmo da conclusão da Série A do Campeonato Brasileiro. A abertura da 117ª edição acontece nesta quarta-feira (17), às 19h30, com o jogo entre Unirb e Vitória, no Carneirão, pela primeira rodada.

 

O segundo duelo do Baianão marcará a estreia do Vitória da Conquista, que vai visitar o Leão, no sábado (20), no Barradão, em jogo antecipado da segunda rodada. No dia seguinte, domingo (21), acontecerão os primeiros desafios do Bahia de Feira, Jacuipense, Fluminense de Feira, Atlético de Alagoinhas, Bahia e Juazeirense. Enquanto o Doce Mel fará sua estreia somente na outra quinta (25), diante do Tricolor de Salvador, pela segunda rodada, depois que oito partidas já terão acontecido.

 

As adaptações do calendário de 2021 já haviam sido sinalizadas pelo presidente da Federação Bahiana de Futebol (FBF), Ricardo Lima. Em entrevista ao programa BN na Bola, da rádio Salvador FM 92.3, com apresentação de Emídio Pinto, Glauber Guerra e Ulisses Gama, em dezembro do ano passado (lembre aqui), o dirigente disse que a tabela seria montada para se adequar aos compromissos dos times baianos nas demais competições, como Copa do Nordeste e Copa do Brasil, que serão disputadas no mesmo período. Inclusive, a abertura do estadual foi pensada inicialmente para o dia 21 deste mês, mas acabou sendo antecipada para 17. 

 

"O ano de 2021 é o ano de calendário apertado para que a gente possa adequar as competições para o ano de 2022 iniciar redondo. Então será preciso um sacrifício de todos. Lógico que entramos num acordo, informamos as necessidades e a realidade que temos", justificou na época.

 

Atual tricampeão consecutivo, o Bahia entra em campo buscando o tetracampeonato do Baianão. A edição deste ano também terá a estreia do Unirb, promovido à elite pela primeira vez na sua história.

 

O Bahia Notícias preparou um guia com as principais informações dos 10 clubes participantes.

 

Confira as estreias de cada equipe:

Arte: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

 

ATLÉTICO DE ALAGOINHAS

Atual vice-campeão baiano, o Atlético de Alagoinhas chega ao Baianão de 2021 tentando driblar a crise financeira que dificultou sua vida após o retorno do futebol paralisado pela pandemia do coronavírus. Se no ano passado, a diretoria causou alvoroço com a contratação do experiente atacante Magno Alves, desta vez o elenco não teve nenhum reforço bombástico. Por outro lado, a aposta é no técnico Estevam Soares, que acumula passagens ao longo da carreira por clubes brasileiros como Palmeiras, Botafogo, Coritiba, Ceará, São Caetano, Ponte Preta, dentre outros. O ano é novo, mas o objetivo do Carcará é o mesmo da edição de 2020, isto é, conquistar vagas nas competições nacionais de 2022, como diz o presidente Albino Leite.

 

"O Atlético vai lutar para chegar. Vai lutar mesmo dentro das suas dificuldades, mas vai tentar ficar entre os três primeiros", declarou em entrevista ao BN.

 

O vice-campeonato de 2020 colocou a equipe de Alagoinhas nas disputas da fase preliminar da Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Série D do Brasileiro. Boa parte do elenco foi mantida e as contratações foram feitas para repor as saídas de alguns atletas.

 

Destaque: Estevam Soares (técnico).

 

Time base: Fábio Lima; Edson, Iran, Bremer e Makeka; Gilmar, Dionisio e Miller; Robert, Reninha e Emerson. Técnico: Estevam Soares.

Estevam Soares (D) | Foto: Reproducação / Instagram Atlético de Alagoinhas

 

BAHIA

Dono do tricampeonato estadual, o Bahia, que ainda vive uma dúvida sobre qual divisão irá disputar em 2021, entra no estadual com o mesmo planejamento de 2020: usar o time de transição. Neste ano, o torcedor verá caras conhecidas como o lateral-esquerdo Mayk, o zagueiro Everson e o meio-campista Caio Mello. Novidades vindas de outros clubes também serão vistas no time.

 

"Hoje a gente tem um equilíbrio muito grande entre atletas da base e os que estão sendo contratados, ainda vão chegar mais alguns para que a gente consiga novamente montar um elenco competitivo, um time vencedor, capaz de chegar às finais do campeonato para reforçar a camisa do Bahia", disse Cláudio Prates, técnico da equipe, em entrevista ao BN na Bola, da Rádio Salvador FM 92,3. 

 

Após participar do Baianão em 2020 com o Tricolor e passar pelo Joinville na Série D do Campeonato Brasileiro, Caio Mello garante que volta com maturidade para ajudar a equipe.

 

"Estava falando até com Mayk, voltar para onde me sinto em casa... Foi uma experiência muito boa, fui muito bem recepcionado aqui, por todos os profissionais. Volto mais maduro, não como menino da base, mas profissional", indicou.

 

Destaque: Caio Mello (meia)

 

Time-base: Leandro; Renan Guedes; Gustavo Henrique, Everson e Mayk; Caio Mello, Bruno Camilo e Jeremias (Raniele); Daniel Penha, Dodô (Gustavo) e Ronaldo.

 

Com experiência no Baianão, Caio Mello é uma das referências do time de transição do Bahia | Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

 

BAHIA DE FEIRA

O Bahia de Feira chegará em 2021 reformulado para o Baianão. O presidente Jodilton Souza mudou o planejamento do clube junto à diretoria e trouxe novos atletas, além do técnico Oliveira Canindé, que chegou para comandar o time. Alguns nomes permanecem, mas a maioria são jovens que estão subindo da base ou acertaram com o clube recentemente. 

 

“Fizemos uma limpeza na equipe e, de todos os 32 atletas que tínhamos, nós ficamos somente com nove atletas - alguns deles são Deon, Pelé, Jarbas, Diones, Bruninho, Cazumba -, e subimos mais um grupo de atletas oriundos da nossa categoria de base. Foram oito jovens que o próprio Canindé achou interessante de trabalhar”, destacou Jodilton em entrevista ao BN.

 

Como Oliveira Canindé só iniciou o trabalho no Bahia de Feira em fevereiro, o preparador físico Geraldo Lantyer foi responsável por iniciar os trabalhos na pré-temporada. 

 

“A expectativa é de que a gente possa reeditar 2019 e, quem sabe, repetir 2011, quando fomos campeões baianos”, finalizou o dirigente.

 

Destaque: Victor Salvador (volante)

 

Time base: Alan; Rony, Paulo Paraíba, Ângelo e Cazumba; Diones, Bruninho, Jarbas e Victor Salvador; Pedro Neto e Deon.

 

Victor Salvador é uma das novas contratações | Foto: Divulgação / Bahia de Feira

 

DOCE MEL

Na sua primeira disputa na elite do futebol baiano, o Doce Mel conseguiu garantir a permanência na penúltima rodada. No último jogo da edição de 2020, o time ainda aprontou para cima do Vitória empatando em 2 a 2. O resultado deixou o Leão fora do G-4. Para esse o ano, a diretoria manteve a base do elenco. O técnico Índio Ferreira espera que o desempenho da equipe seja um pouco melhor em 2021.

 

"Todos nós estamos esperando algo diferente. É óbvio que na teoria tudo é mais fácil, mas quando chega a prática a coisa aperta. O importante foi ter mantido 70% a 80% do elenco que jogou os últimos dois jogos", comentou em entrevista ao BN.

 

Destaque: Aleff (meia)

 

Time base: Nilton; Raçudo, Renan, Hebert e Henrique; Joadson, Michel, Aleff e Jean; Bravo e Adnael. Técnico: Índio Ferreira.

Aleff | Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias

 

FLUMINENSE DE FEIRA

O Fluminense de Feira é mais uma equipe que irá iniciar a temporada com novo técnico. Thiago Santa Bárbara assumiu o elenco nesta temporada e está preparando todos os jogadores para que o elenco, por completo, seja capaz de manter o mesmo nível de jogo. 

 

“Nós estamos reorganizando o clube, montando uma equipe competitiva”, declarou o técnico ao BN, ressaltando que o trabalho conjunto de modificar o Touro do Sertão também conta ativamente com o presidente Antonio Deraldo, o Deraldão, recém-eleito.

 

Com a equipe enfrentando um surto de Covid-19, tendo cinco jogadores e quatro membros da comissão técnica contaminados, a expectativa é de que, com o elenco possível para a estreia e em melhores condições, o Flu de Feira possa iniciar o campeonato com um bom desempenho e alcançar posições mais altas na tabela em relação ao ano passado. 

 

“A gente espera que possa, num primeiro momento, alcançar as semifinais do campeonato estadual, para que a gente possa garantir um calendário maior para o clube”, completou Thiago Santa Bárbara.

 

Destaque: Bruno Veiga (atacante)

 

Time base: Weide Andrade; Tiago Baiano, Rodrigo, Andresson e Arnold Camaronês; Michel Pires, Moisés, Kariri e Catarino; Cristian e Bruno Veiga.

Equipe está com cinco desfalques por Covid-19 na pré-temporada |  Foto: Reprodução / TV Touro

 

JACUIPENSE

O Jacuipense entra na disputa do Baianão um degrau acima dos demais clubes, uma vez que permaneceu na Série C do Brasileiro em 2020. Ainda assim, o técnico Jonilson Veloso não vê essa condição como uma vantagem para o Leão Grená. Porém, ele admite que o time de Riachão do Jacuípe entra em campo com o peso da expectativa de fazer uma boa campanha.

 

"Vantagem não. Sabemos que o Campeonato Baiano é uma competição difícil. Estamos indo para o quarto ano. Apesar de ter mantido uma base, de ter mais tempo dos jogadores no clube, isso não se reverte em vantagem. As equipes do interior são grandes equipes. A partir do momento que o juiz apita, essa vantagem deixa de existir", afirmou ao BN. "O Jacuipense é uma das grandes forças hoje, principalmente do interior. Então, ele entra com esse peso, mas nada disso dá uma grande vantagem em relação às outras equipes, porque futebol são 90 minutos e inclui muitas coisas para se ter uma vitória. O campeonato é muito parelho", completou.

 

Um dos grandes trunfos do Leão Grená para o Baianão deste ano é a manutenção da base do seu elenco, que finalizou a temporada de 2020 conquistando a permanência na Série C. A diretoria fez contratações pontuais para preencher as saídas de alguns atletas. Como de costume, o elenco mescla jovens vindos da base com a experiência de jogadores com rodagem no futebol como o centroavante Dinei, o zagueiro Kanu e o meia Danilo Rios. Além disso, Jonilson Veloso também é um grande conhecedor do clube já que comanda a equipe desde 2017. 

 

Destaque: Dinei (atacante).

 

Time base: Vitor; Railan, Kanu, Jeferson e Vicente; Josa, Newton, Eudair e Fábio; Mauri e Dinei. Técnico: Jonilson Veloso.

Dinei | Foto: Reprodução / Instagram Marlon Costa


JUAZEIRENSE
No Baianão do ano passado, a Juazeirense chegou a flertar com a zona de rebaixamento no início da campanha. Porém, o Cancão de Fogo trocou o comando técnico e conseguiu reagir, terminando a primeira fase na terceira colocação. A equipe acabou sendo derrotada na semifinal pelo Atlético de Alagoinhas. Embalado com a boa campanha, que também garantiu vagas na Copa do Brasil e Série D deste ano, o clube de Juazeiro colocou como meta disputar a final do estadual, como diz o diretor da base e de esportes, Randerson Leal.

 

"Nós ficamos no terceiro lugar em 2020 e a expectativa desse ano é disputar pelo menos a final do campeonato. Claro que o objetivo é ser campeão, mas sabemos das dificuldades de ter Bahia e Vitória, como outros grandes clubes do interior que estão se reforçando muito bem, como o Jacuipense, Fluminense de Feira. Mas a expectativa é chegar na final", projetou em entrevista ao BN.

 

Com as competições nacionais na agenda de 2021, o Cancão de Fogo também vai usar o Baianão como um laboratório para lapidar seu elenco visando o restante da temporada.

 

"Claro que a espinha dorsal será o Campeonato Baiano. Não teremos muito tempo para fazer experiências, o campeonato é curto também. Então, temos que fazer um campeonato bem seguro, mas observando também as outras datas tanto da Copa do Brasil quanto da Série D, que é outro principal objetivo no ano, que é voltar à Série C", continuou.

 

Em 2017, a Juazeirense se tornou o primeiro clube baiano a conquistar o acesso à Série C. Porém, o Cancão de Fogo não conseguiu se manter e acabou rebaixado no ano seguinte.

 

Destaque: Nino Guerreiro (atacante).

 

Time base: Rodrigo Calaça; Carlinhos, Juan, Wendell e Martin Rivas; Waguinho, Sapé, Clebson e Beleu; Kesley e Nino Guerreiro. Técnico: Givanildo Sales.

Nino Guerreiro | Foto: Bruno Lopes / Juazeirense

 

UNIRB

As expectativas são altas para a equipe campeã da Série B do Campeonato Baiano de 2020. Após duas temporadas disputando o estadual, o Unirb conseguiu o acesso para a elite e vai estrear na competição com um adversário de tradição: o Vitória. 

 

"Não acho que num campeonato existem favoritos. Existem aqueles que têm um histórico maior no futebol. Entendemos que é preciso jogar de igual para igual. Não existe, dentro do contexto do futebol, um time que tenha superioridade da atividade em si. Se existisse, o campeonato seria de times que seriam auxiliares para manter a competição, não seriam times profissionais. Nós vamos entrar para disputar com totais condições, como qualquer outra, seja para jogar com um time com menos tradição ou com um time que tenha 50 anos de campeonato”, declarou Carlos Joel, presidente do clube, em entrevista ao BN.

 

Dos cerca de 30 jogadores que estiveram na equipe durante o acesso à Série A do estadual, apenas seis foram mantidos no elenco. Mas, apesar das novidades, o grupo vai estar sob o comando de Laelson Lopes, técnico que já possui experiência em clubes da Bahia e do Nordeste.

 

“Somos uma equipe debutante, a mais nova do Campeonato Baiano, mas temos grandes objetivos. A gente sabe da dificuldade da competição, tenho mais de 20 campeonatos baianos nas costas, fora os da base, então sei o quanto é difícil essa competicao”, destacou o treinador.

 

Apesar disso, Laelson aposta que a equipe, que mescla jogadores jovens e nomes que já são conhecidos no estado, tem equilíbrio.

 

“Dentre nossos jogadores, estamos com uma média de 25 anos, o que considero uma média boa para o campeonato. Agora, é esperar que o time ganhe harmonia e competitividade. Como não temos história ainda no futebol, essa história precisa ser construída", finalizou.

 

Destaque: Henrique (atacante)

 

Time base: Deijair; Leandro Alaba, Dedé, Gustavo e Felipe Maradona; Rogério Xodó, Paulinho, Carlos Magno, Dener e Rafael; Henrique.

 

Equipe estreia na elite do estadual esta semana | Foto: Divulgação / Unirb FC

 

VITÓRIA

O Vitória tinha como objetivo subir para a Série A do Campeonato Brasileiro na temporada passada. Porém, isso ficou longe de ser alcançado. O time brigou para evitar o rebaixamento até as rodadas finais. Diante deste cenário, a crise financeira se agravou. E uma das medidas para conter despesas foi não retornar com a equipe de transição, como ocorreu no Baianão de 2020. Comandado pelo técnico Rodrigo Chagas, o Leão terá um elenco com muitos jovens oriundos da base como Figueiredo, Samuel, Ruan Nascimento, Gabriel Santiago, Pedrinho, entre outros.

 

O elenco não conta só com jovens. Tem também aqueles experientes como os zagueiros Maurício Ramos e Wallace.

 

A última vez que o Vitória conquistou o título do Campeonato Baiano foi em 2017. Em 2019 e 2020, o time sequer passou da primeira fase. Rodrigo Chagas pregou respeito ao adversário, mas não abre mão de levantar o troféu. 

 

"O Vitória tem para esse Campeonato Baiano muito trabalho, intensidade, pegada e ir em busca do que todos desejamos, já que há dois anos nós não chegamos às finais. Então, vamos procurar trabalhar muito para chegar nesse objetivo, respeitando todos os adversários, para conseguirmos o resultado positivo do título", disse o comandante rubro-negro.
 

Destaque: Ronaldo (goleiro) 

 

Time base: Ronaldo, Van, João Victor, Wallace e Leocovick; Guilherme Rend, Dudu e Gabriel Santiago; Vico, Samuel e Alisson Farias. Técnico: Rodrigo Chagas.

Ronaldo | Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias

 

VITÓRIA DA CONQUISTA

Assim como boa parte das equipes, o Vitória da Conquista também chegará em 2021 com novidades. Além de mudanças no elenco, o clube vai disputar o Baiano com nova comissão técnica e o treinador Gabardo Júnior.

 

“Já estávamos monitorando o Gabardo desde o ano passado. Já conhecíamos pelo longo período dele no Grêmio, na base e como auxiliar de Renato Gaúcho. Ao conhecermos empresários e investidores em comum, negociamos para apostar o nome dele aqui no clube”, explicou Ederlane Amorim, presidente do Bode, ao BN.

 

Sobre as mudanças no elenco, o dirigente explicou que a renovação da equipe é devido ao momento do clube. Enquanto alguns jogadores receberam melhores propostas e outros deixaram de jogar, o Vitória da Conquista acabou precisando de novos atletas, mas alguns nomes seguirão com o Alviverde. 

 

“Mantivemos na equipe o goleiro Zé Neto, o zagueiro Silvio, o meio campo Kléber, que são jogadores de uma longa história no clube e experientes. Isso traz confiança e a possibilidade de engajar jogadores que vêm de outros estados. Será uma mescla de uma equipe com juventude, experiência e uma comissão que estamos apostando muito”, comentou. 

 

Satisfeito com o trabalho que vem acontecendo na pré-temporada, Ederlane finalizou que se os jogos tivessem que acontecer a qualquer momento, o time já estaria pronto.

 

“Se tivéssemos que jogar amanhã, já teríamos uma equipe competitiva, com condições de boa performance na competição", destacou o presidente. 

 

Destaque: Tiago Santana (zagueiro)

 

Time base: Netto; Raul, Breno, Sílvio e Alex Lagamar; Rodrigo, Fagner, Matheus Valença e Mateus; Guto e Andrei.

Tiago Santana já é conhecido de Gabardo da base do Grêmio | Foto: Luciana Flores / ECPP Vitória da C