Caldas do Jorro: Sargento da PM morto a mando da filha de 15 anos não aceitava namoro dela

 


O sargento da Polícia Militar aposentado Pedro Xisto Oliveira de Souza, 55 anos, morto a tiros no início da tarde de sábado (8), dentro do banheiro da casa onde morava, no município de Tucano, era contra o namoro da filha, uma adolescente de 15 anos – apontada pela polícia como mandante do crime.

O PM da reserva morava na Rua Ribeira do Pombal, no distrito de Caldas do Jorro e recebeu pelo menos nove tiros. Segundo o coordenador da 25ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Euclides da Cunha), delegado Paulo Jason Mello, o crime teria sido executado por um homem contratado pela filha do militar. O criminoso está sendo procurado pelas equipes.

O delegado disse ainda que o namorado da adolescente contou detalhes de como ocorreu a morte do sargento. Segundo ele, o autor entrou na casa, pegou a arma que pertencia ao PM e atirou nele. O namorado disse ainda que foi a adolescente que teria aberto a porta para que o autor do crime entrasse na residência e, além disso, mostrou onde a pistola estava guardada.

Após o crime, o assassino fugiu levando a arma da vítima. Uma guarnição da Companhia de Emprego Tático Operacional (CETO) da Polícia Militar foi acionada por volta das 20h, mas acredita-se que o homicídio tenha ocorrido por volta das 13h.

A polícia conseguiu desvendar o homicídio ainda no local, após ouvir a filha do militar e o namorado dela, de 18 anos. A princípio a jovem chamou a polícia e disse que encontrou o pai morto no banheiro da residência, mas após questionamentos ela passou a contar a verdade, citando inclusive que o pai era contra o relacionamento dela com o namorado.

No depoimento, o namorado revelou que contrataram um criminoso de Feira de Santana que recebeu R$ 600 via PIX para executar o militar. A polícia informou que a adolescente será encaminhada ao Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), para que sejam tomadas as medidas pertinentes, enquanto o namorado foi levado para Euclides da Cunha, cidade distante 60 km de Caldas do Jorro, e está à disposição da Vara Criminal. 

As investigações prosseguem agora no sentido de identificar e prender o assassino.