Eleições: Bolsonaro lidera, mas tem favoritismo ameaçado por Lula, aponta Paraná Pesquisas

 


A pesquisa do instituto Paraná, publicada na edição da revista Veja desta semana, mostra que a sucessão de 2022 está polarizada entre o presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) e o ex-presidente Lula (PT). Bolsonaro aparece com 32,7% das intenções de voto. Lula tem 29,3%. Como a margem de erro é dois pontos percentuais para mais ou para menos, ambos  estão tecnicamente empatados.

Há cinco candidatos empatados tecnicamente na terceira posição. O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) registra 6,2% das intenções de voto. O apresentador da TV Globo, Luciano Huck (Sem partido), e o ex-juiz Sergio Moro (Sem partido) somam 5,8% das intenções de voto cada um. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), registra 3,6% e João Amoêdo (Novo) tem 2,6%. Brancos, nulos e indecisos somam 12,6%.

Embora a soma das intenções de voto de Bolsonaro e Lula contabilize 62% é importante registrar que os candidatos localizados fora da polarização (Ciro, Huck, Moro, Doria e Amoêdo) somam juntos 24% das intenções de voto. Ou seja, um terço do eleitorado está localizado fora da polarização.

Porém, o desafio de unir esse contingente de eleitores é complexo, já que é improvável uma união entre todas essas forças de centro. Chama atenção, mais uma vez, o baixo desempenho de João Doria nas pesquisas, deixando pouco espaço para que o PSDB retome a posição de protagonista em 2022.

Segundo turno - Nas simulações de segundo turno, Jair Bolsonaro aparece com 42,5% das intenções de voto. Lula registra 39,8%. A vantagem de Bolsonaro de apenas 2,7 pontos percentuais está dentro da margem de erro, o que configura uma situação de empate técnico.

Em um hipotético embate contra Ciro Gomes, Bolsonaro venceria por 43,4% a 35.3%.