SERRINHA:Familiares de desaparecidos em vivem a angústia pela falta de resposta por parte das autoridades de segurança


Lúcia (E) procura pelo irmão Marlon e Eliene pelo filho Jeorge
A luta incansável de mães e irmã de jovens desaparecidos no município de Serrinha no ano passado, tendo as mesmas chegado aos principais meios de comunicação de Salvador e até reunirem com o então delegado Geral do Estado da Bahia, Berdardino Brito Filho, no dia 3 de dezembro de 2020, ainda assim continua na mesma situação, sem resposta, só aumenta a angústia das famílias.   

Jeorge, Marlon e Lucas
Na manhã desta quarta-feira, 09, a mãe de Jeorge Santana Ferreira, a senhora Eliene de Souza Santana, e Lúcia de Oliveira Lima, irmã de Marlon Oliveira, procuraram o Calila Notícias com objetivo de lembrar as autoridades que elas não esquecem um só minuto dos jovens e pedem empenho aos órgãos competentes para localizarem, se não vivos, pelo menos os restos mortais para que realizem o sepultamento digno, conforme falou dona Eliene que afirma que já sabe que Jeorge está morto, tem pistas onde o corpo pode ser encontrado, já relatou isto para a Polícia, mas que continua sem uma resposta. “Fui informada e me disseram que é pra resolver logo, pois, pode ser que tirem do local”, contou a mãe do jovem que desapareceu em 24 de outubro de 2020 depois de participar de uma carreata política.   

Eliene conversou com nossa equipe, veja o tamanho do sentimento, ela disse que no dia do aniversário de Jeorge fez ‘um bolinho’ reuniu as quatro irmãs dele e cantaram parabéns – Ouça no Calila Notícias.  

Lúcia de Oliveira é irmã de Marlon que também está desaparecido, ela participou até agora de todas reuniões com autoridades policiais e entrevistas para imprensa, embora sem muita esperança de que ele esteja vivo. Segundo ela o irmão desapareceu em 1º de outubro do ano passado, disse: "a gente quer achar ele vivo ou o corpo pra gente enterrar. Diferente do caso de Eliene, a gente não tem nenhuma informação sobre meu irmão, não tem pista nenhuma, mas a gente continua correndo atrás pra ver se consegue alguma coisa", relatou.  

Além de Eliene e Lúcia, Patrícia mãe de Lucas vive a mesma angustia depois do seu desaparecimento também no mês de outubro do ano passado.  

Em 25 de maio, ou seja, há duas semanas a Polícia prendeu um suspeito de matar Jeorge, “os investigadores apontaram que ele teria sido morto cruelmente, com golpes de madeira, e enterrado em uma fazenda na zona rural desta cidade. Foram realizadas buscas nos locais apontados, mas o corpo ainda não foi achado”relatou o delegado Michael Alves a reportagem.