Nordestão: STJD aumenta pena dos jogadores de Bahia e Ceará envolvidos na confusão da final

Confusão no fim da partida entre Ceará e Bahia, na final da Copa do Nordeste

 Em julgamento realizado na tarde desta quinta-feira, 15, o Tribunal Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) aumentou as penas dos jogadores de Ceará e Bahia envolvidos na confusão da final da Copa do Nordeste, bem como as multas impostas aos clubes.

Os auditores acompanharam o voto do relator Mauro Marcelo de Lima, que propôs a reforma das punições. Os atletas Gabriel Dias, do Ceará, Juninho e Danielzinho, do Bahia, foram apenados com oito partidas de suspensão. Enquanto os jogadores Jael e Mendoza, do Vovô, e Nino Paraíba, do tricolor baiano, pegaram gancho de dez jogos. haverá detração, no entanto, do que os jogadores já cumpriram anteriormente.

No caso do Ceará, Mendoza já havia ficado de fora de quatro partidas preventivamente, mas o STJD não contabiliza a partida da final do Estadual para detração, portanto, foram apenas três cumpridas, o que significa que o colombiano ainda terá sete jogos de suspensão.  

Quanto a Jael e Gabriel Dias, ambos cumpriram duas partidas de suspensão, que serão subtraídas. O atacante, portanto, ficará oito jogos fora, enquanto o lateral-direito tem seis jogos de gancho pela frente. Todos começam a cumprir já na partida deste sábado, entre Ceará e Athletico-PR, pela 12ª rodada da Série A do Brasileiro. As informações foram checadas com o departamento jurídico do Ceará e com o STJD.   

Quanto à multas pecuniárias, o Ceará terá que pagar R$ 31,6 mil reais, enquanto o valor a ser pago pelo Bahia será de R$ 25 mil. O time baiano perdeu ainda um mando de campo pela invasão de Nino Paraíba ao gramado, mesmo com o jogo tendo acontecido no Castelão.