‘Não estou nem levantando da cama’, diz mãe de menino de 12 anos que desapareceu há 9 meses em Itiúba

 


Mãe de Davi fala sobre desparecimento do filho
Lilia Lima, mãe do garoto baiano que está desaparecido há quase 9 meses, segue sem respostas sobre o filho. Davi Lima, filho único, desapareceu em março deste ano após ter saído da casa de uma tia em direção à residência da avó, no povoado de Varzinha, na zona rural de Itiúba, região sisaleira da Bahia.

Davi completou 12 anos, no dia 13 de dezembro. Além de não poder comemorar a data ao lado do filho, este foi o primeiro Natal de Lilian sem o garoto.

“Este mês eu não estou nem levantando da cama, não consigo ficar em pé. Ele gostava de dar presentes, de ajudar as pessoas na rua”, recordou-se a mãe do garoto.

O mês de dezembro deste ano foi muito mais difícil para a fotógrafa e o marido Edson Alves, que também fez aniversário no dia último dia 9. O casal costumava viajar entre as datas de festejos de Davi e do pai dele.

“A gente sempre viajava, ficava juntos. Ele [Davi] não gostava de comemorar aniversário, pedia para a gente viajar. Está sendo muito difícil, difícil até de falar”, contou emocionada.
Família gostava de viajar no mês de dezembro | Foto: Arquivo Pessoal
‘Nenhuma resposta’
Segundo Lilia, a Polícia Civil de Itiúba não tem passado informações sobre as investigações.

“No momento ainda não, eles pediram prazos de 30, 60, 90 [dias] e prorrogou, aí de novo. Falaram que teríamos notícia no final de outubro, depois novembro e agora vai terminar o ano e sem nenhuma notícia, nenhuma informação”, lamentou.

Mesmo sem respostas, Lilia Lima não perde as esperanças e não desiste de encontrar o filho.

“Eu procurei também os direitos humanos, eles estão me acolhendo, me ajudando a pedir mais agilidade, uma resposta, mas estou aguardando”.

A mãe de Davi também procurou o Ministério Público da Bahia (MP-BA) e a Defensoria Pública do Estado (DPE-BA) em busca de apoio.

“O Ministério Público, a Defensoria Pública também, mas eles ficam mandando a gente aguardar, confiar no trabalho deles, que eles querem o quanto antes dar uma resposta, que é prioridade, que o caso não está esquecido. É sempre as mesmas coisas, mas nenhuma resposta”, disse.

O g1 entrou em contato com a Polícia Civil que informou que a apuração desse caso corre em segredo de Justiça.

Mês especial
Davi e o pai fazem aniversário no mês de dezembro | Foto: Arquivo Pessoal
Além dos aniversários de Edson Alves, no dia 9 de dezembro, e de Davi, no dia 13, o mês também marca o Natal, festa que o garoto gostava muito de comemorar.

“Eu tento manter minha saúde, mas não tem como. Estou sendo acompanhada por um psicólogo, fazendo terapias, mas o vazio, a falta, não supera. É muito difícil”, disse o Lilia Lima.

O casal passou a noite de Natal em Salvador, onde moram. No entanto, o pensamento está em Davi.

“É como se fosse mentira para a gente. A gente está aqui [Salvador], eu e o pai. A gente não sabe o que fazer, só fica imaginando ele, vendo ele”, disse Lilia Lima.

O tempo passa e o quarto de Davi está do mesmo jeito que o garoto deixou antes de viajar para Itiúba. Na parede, as fotos de momentos felizes em família.

Relembre o caso
Garoto foi visto pela última vez na zona rural de Itiúba, região norte da Bahia | Foto: Reprodução/TV São Francisco
Davi Lima desapareceu quando viajou com os pais, para visitar parentes. Lilia Lima conta que foi contratada, em Itiúba, para fazer um ensaio com um casal.

A mãe do garoto deixou o filho com a irmã e voltou em menos de duas horas, mas Davi já tinha desaparecido.

“Ela disse que foi comprar balas com ele em uma vendinha que tem próximo da casa dela. Aí quando voltou, ele correu, aí ela foi e pegou a moto e foi atrás, mas não achou mais ele”, relatou.

Logo após descobrir que o filho tinha sumido, os pais, vizinhos e familiares começaram as buscas. Lilia e o marido Edson Alves, procuraram incessantemente pelo garoto, em uma área de mata, mas não encontraram.

Uma equipe do Corpo de Bombeiros, além de cães farejadores e helicópteros também foram ao local, mas apenas a sandália que Davi usava foi achada.

“Eu não acho que o menino sumiu. A capitã [dos bombeiros] explicou: ‘Seu Edson, o cão vai na sandália e retorna. O que ele passa para mim, como adestradora, é: Esse cheiro não prossegue para a mata. Ele retorna para cá’. Então deduzimos que a sandália foi colocada lá”, afirmou o pai de Davi.

Por João Souza, G1 BA

Postar um comentário

0 Comentários