Anvisa aprova uso emergencial do primeiro medicamento para prevenir a Covid-19

 

Anvisa aprova uso emergencial do primeiro medicamento para prevenir a Covid-19


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso emergencial do medicamento Evusheld (ou AZD7442) da AstraZeneca contra a Covid-19.

 

De acordo com a Folha de São Paulo, o medicamento, que é uma combinação de anticorpos monoclonais cilgavimabe + tixagevimabe, deve ser usado como profilaxia pré-exposição, possibilitando que indivíduos que não estão atualmente infectados com a Covid-19 e não tiveram contato com o vírus façam o uso da medicação. 

 

O Evusheld é indicado para pessoas com 12 anos ou mais quem têm comprometimento imunológico moderado a grave, como pessoas que receberam transplante de órgão, que tenham imunodeficiência primária moderada ou grave, que fazem tratamento de leucemia e também pode ser usado por pessoas que têm infecção de HIV avançada ou não tratada. O medicamento também pode ser usado para quem a vacina contra a Covid-19 não é recomendada devido a um histórico de reação adversa grave. 

 

Ainda conforme informações, para quem a vacinação é indicada, o medicamento não a substitui, sendo necessário, que neste caso, a medicação seja administrada pelo menos duas semanas após a aplicação do imunizante. 

 

Para a diretora relatora da Anvisa, Meiruze Sousa Freitas, diante do cenário atual da pandemia, o uso de um produto para profilaxia pode proporcionar mais uma estratégia para proteção da população.

 

“Considero que a profilaxia pré-exposição pode ser uma arma importante para combater os agravos dos mais vulneráveis que estão em risco de serem hospitalizados e de óbitos, como as pessoas com leucemia, imunodeficiência primária ou adquirida ou aquelas que realizam tratamentos imunossupressores, com as pessoas transplantadas”, ressaltou a especialista.

Postar um comentário

0 Comentários